A ENGENHOSIDADE HUMANA É NOSSA MAIOR ARMA CONTRA O CORONAVIRUS

A ENGENHOSIDADE HUMANA É NOSSA MAIOR ARMA CONTRA O CORONAVIRUS

By Edson Agatti
April 16, 2020 22:40
0 Comments
Brain electric



Por Gonzalo Schwarz

A pandemia do coronavírus é um evento cisne negro, sem precedentes. Por causa disso, vimos muitos erros e respostas tardias muito mais reativas do que proativas. Certamente haverá muitas lições a serem aprendidas.

Apesar desses erros, existem muitos esforços para “achatar a curva” e conter a propagação do vírus, além de sinais significativos de desenvolvimentos positivos para tratamentos e inclusive uma vacina. É a engenhosidade humana em ação.

Embora seja fácil imaginar um cenário apocalíptico, não podemos ficar alheios aos tantos grupos de pessoas, empresas e indústrias inteiras que estão se mobilizando para enfrentar esta crise de saúde pública. A crise, sem dúvida, desencadeará um debate duradouro sobre a confiança em nossas instituições – desde o governo à nossa comunidade científica. Mas isso não deve ofuscar nossa confiança na engenhosidade humana – nossa capacidade inata de nos unir e resolver grandes problemas por meio do empreendedorismo, inovação e progresso. Como apontou o economista Julian Simon, nosso recurso supremo é a engenhosidade humana, e nada muda na luta contra o coronavírus.

Prova disso é o fato de que tratamentos e vacinas em potencial já estão sendo testados e desenvolvidos. Um dos primeiros ensaios clínicos de uma vacina foi iniciado pela Moderna Therapeutics, e agora existe uma competição global, com vários países participando para desenvolverem uma vacina. Também existem vários medicamentos sendo testados como possíveis tratamentos para o vírus, muitos dos quais se mostraram promissores – incluindo, apenas para citar alguns, Cloroquina, Remdisivir, Kevzara e Actemra.

Embora tenhamos visto problemas com a disponibilidade de testes, a capacidade de desenvolver testes também aumentou nas últimas semanas e já está aumentando significativamente nos Estados Unidos, com os gigantes corporativos Quest e Labcorp se juntando para expandirem as instalações de testes. Com os avanços da biotecnologia, empresas como a Mammoth Biosciences estão usando a tecnologia CRISPR que pode tornar a produção de testes mais baratas e rápidas.

Outro grande testemunho da engenhosidade humana é a adaptação contínua da comunidade empresarial, que continua a fornecer imenso valor social a seus próprios funcionários e a outros. Empresas de pequeno e grande porte estão implementando uma espécie de “capitalismo consciente”, como definido pela primeira vez pelo fundador e CEO da Whole Foods, John Mackey. Desde o Walmart e Costco fornecendo mantimentos, à Amazon que vem aprimorando seus centros de distribuição para fornecer suprimentos médicos, até o Skype e Zoom e suas diversas opções de teletrabalho. As marcas favoritas dos americanos estão cada vez mais trabalhando pelo bem maior.

Embora as grandes empresas estejam liderando o processo, até as pequenas empresas – muitas das quais enfrentam fechamentos, demissões e outras ameaças – estão tentando fazer o que é certo por seus clientes e comunidades. Os restaurantes locais, por exemplo, têm oferecido novos descontos e isenção de taxas de entrega para atender aos que estão em quarentena. Restaurantes como o Seven Reasons de Washington, DC têm sido ainda mais criativos, iniciando um “Employee Wellness Fund” para trabalhadores afetados e abrindo sua cozinha para empreendedores que esperam desenvolver seu próprio empreendimento.

Outros esforços são de natureza filantrópica, mas que contribuem bastante para conter a propagação do vírus. Isso inclui Bill e Melinda Gates doando milhões em busca de tratamento a curto prazo e preparação para pandemia a longo prazo. O economista Tyler Cowen, através de seu programa de subsídios “Emergent Ventures”, lançou um concurso que oferece prêmio de mais de US $ 1 milhão para projetos relacionados ao COVID-19.

A engenhosidade humana está até mesmo ajudando a melhorar nosso estado de espírito em meio a tanta ansiedade e paranoia. Muitas pessoas na Itália e na Espanha compartilharam vídeos sobre concertos improvisadossessões de exercícios e até de gente dançando “Macarena”. Enquanto isso, as pessoas mais jovens estão se voluntariando para buscarem alimentos e mantimentos para os idosos e outras pessoas que estão no grupo de maior risco.

Lembre-se: eventualmente, a engenhosidade humana prevalecerá. O progresso prevalecerá. Confie no setor privado e em seus milhões de inovadores. Embora o governo tenha um papel importante para conter a disseminação da pandemia, é a inovação que desempenhará o papel mais significativo no avanço da saúde pública nos próximos meses, anos e décadas.

Certamente, a confiança na engenhosidade humana requer que muitos dos atrasos e barreiras desnecessáriasdas autoridades governamentais sejam removidos ou os que processos sejam acelerados ainda mais para permitir uma coordenação mais rápida e responsiva. Agora, mais do que nunca, o governo não deve travar a inovação.

Seja os cientistas desenvolvendo uma vacina ou seja os americanos comuns ajudando seus vizinhos, todos nós podemos alcançar a luz no fim do túnel, apoiando-nos em nossa atitude individual e nosso espírito empreendedor. E nunca devemos parar de homenagear nossos bravos homens e mulheres trabalhadores da saúde que estão na linha de frente nessa pandemia. Todos nós lhes devemos muito.

O mundo mudará após essa pandemia, mas a engenhosidade humana pode mudá-la para melhor. Confie nisso. Confie em nós.

Gonzalo Schwarz é presidente e CEO do Archbridge Institute em Washington, D.C.

_____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

O Hayek Global College promete revolucionar o conceito de ensino superior no Brasil. 
Clique aqui e saiba mais!

Nos ajude a disseminar ideais: compartilhe sem moderação!

Leave a comment