SE REFRIGERANTES FOSSEM COMO OS TESTES DE VÍRUS

SE REFRIGERANTES FOSSEM COMO OS TESTES DE VÍRUS

By Edson Agatti
May 18, 2020 23:24
0 Comments
soda and straw



Por Paul Romer

Imagine um mundo em que a única maneira de obter um refrigerante seja solicitar ao seu médico uma receita. Isso custa $20 por lata. Sua seguradora que paga, e a economia produz cerca de 100.000 refrigerantes por dia.

Se você vivesse neste mundo, acha que poderia fazer com que as pessoas aumentassem a produção de refrigerante para um nível de milhões de latas por dia? Seria um desafio, mas não por causa da dificuldade de produzir e distribuir refrigerantes.

O Hipotético

Como precisam impedir que os custos fujam do controle, as companhias de seguros, os prestadores de serviços de saúde e os órgãos do governo criam um sistema que limita o acesso ao refrigerante. Parte desse sistema requer um processo regulatório caro que tem de aprovar:

– os ingredientes em cada marca específica de refrigerante;

– o folheto que acompanha o refrigerante informando os pacientes sobre seus riscos e benefícios;

– o sistema de entrega usado pelo fornecedor para prover o refrigerante, seja em garrafa de vidro, lata de alumínio, copo de papel etc.

Então, todo mundo decide que quer mais refrigerante.  Daí eles perguntam: por que a nação não consegue produzir refrigerante suficiente para todos consumirem diariamente?

Eis o que provavelmente vai acontecer:

1 – As únicas pessoas que podem obter refrigerantes são aquelas que já estão sob os cuidados do sistema de saúde. Eles não têm sede, mas a companhia de seguros cobre o custo, então tanto faz.

2 – As pessoas com sede começam a ir ao hospital apenas para tomar refrigerante. Os médicos atendem aos seus pedidos de prescrição. Os produtores de refrigerante tentam aumentar a produção, mas logo encontram “gargalos”. Um fornecedor com um sistema aprovado de entrega de refrigerante que empacota um canudo com uma lata descobre que seu fornecedor de canudos não consegue acompanhar o aumento da demanda. Esta empresa de refrigerantes explica aos seus clientes insatisfeitos que possui a aprovação da FDA apenas para o produto que inclui o canudo de um fornecedor específico. A empresa de refrigerantes diz que está solicitando ao FDA uma Autorização de Uso de Emergência, que lhe dá permissão para empacotar uma lata com um canudo de outro fornecedor. Enquanto espera, continua repetindo a mesma desculpa: “Existe um gargalo de canudo!”

3 – Enquanto isso, pesquisadores de universidades descobrem que não se precisa de canudo. Mas esses pesquisadores não têm motivos para passar pelo laborioso processo de apresentação de uma Autorização de Uso de Emergência que permite beber da lata. O “gargalo de canudo” persiste.

4 – Através de suas experiências de beber direto da lata, esses mesmos pesquisadores universitários percebem que o refrigerante é apenas água com açúcar e que eles poderiam produzir milhões de refrigerantes por dia a um preço bem abaixo de $1 por lata. Os pesquisadores divulgam suas descobertas. Os políticos pedem que eles continuem: “Produzam os refrigerantes que esta nação com sede tanto precisa”. Mas estes não dizem nada sobre quem pagará por todos esses refrigerantes adicionais. Os pesquisadores tem senso de colaboração, mas não são idiotas. Eles produzem alguns lotes simbólicos de refrigerante e voltam a escrever seus artigos.

5 – Os políticos ficam surpresos ao descobrir que suas reuniões e documentos não produzem o aumento no fornecimento de refrigerante que eles tanto almejavam.

6 – Todo mundo fica desanimado. Os políticos concluem que mesmo um sistema econômico tão grandioso, poderoso e inovador quanto o que estabelecemos nos Estados Unidos não consegue enfrentar o desafio de produzir milhões de refrigerantes por dia. Eles se contentam com um objetivo prolongado de oferecer um refrigerante por mês para cada família.

Os Fatos

– Pesquisadores afiliados à Rutgers University descobriram que não se precisa de um cotonete para fazer um teste de RT-PCR para o vírus SARS-CoV-2. Eles até se deram o trabalho de conseguir uma Autorização de Uso de Emergência para realizar testes em amostras de saliva.

– Ninguém propôs uma forma de pagar aos pesquisadores da Rutgers, ou a seus pares em laboratórios similares ao redor dos Estados Unidos, pelos testes que eles poderiam fornecer. Por enquanto, eles fazem isso porque têm senso de colaboração.

– A economia dos EUA produz 350 milhões de latas de 350 ml de refrigerante por dia.

– Os produtores de refrigerante não precisam obter aprovação regulatória cada vez que inovam em decorrência de algum obstáculo ou gargalo.

– Por seus esforços, os produtores de refrigerante recebem cerca de 45 bilhões de dólares por ano.

Lições

Se quisermos usar a enorme capacidade desta nação – e que em grande parte, por sinal, está ociosa neste momento – para produzir dezenas de milhões de testes de vírus por dia, há uma maneira de fazê-lo:

– Decida o que um teste deve realizar.

– Desde que os laboratórios forneçam testes que realizam o que um teste deve realizar, deixe eles se preocuparem com os detalhes.

– Não se apegue à caridade; esteja preparado para pagar a esses laboratórios o dobro do que pagamos em refrigerante.

Artigo original publicado no site do economista e Prêmio Nobel Paul Romer.

_____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Ensino Superior? Ouse pensar diferente, pense Global. 
Clique aqui e saiba mais!

Leave a comment